Conecte-se conosco




Polícia

Homem suspeito de matar policial se esconde dentro de igreja evangélica

Publicado

em

Rapaz mata polícia e se esconde em igreja evangélica

A polícia militar prendeu na cidade de São Bernardo - SP, um homem suspeito de matar um policial durante roubo à mão armada, e que estava em uma igreja evangélica da cidade.

+ Professor que atuava na Igreja Batista está sendo investigado por estuprar crianças

De acordo com informações, o homem de 22 anos era procurado pela polícia depois de ter cometido dois roubos com arma de fogo, além de ser suspeito de matar o PM Dalci Cipriano de Oliveira Júnior, em um latrocínio (roubo seguido de morte).

Após denúncias anônimas, os policiais foram até uma igreja evangélica, e lá encontraram o criminoso no momento que organizava um congresso com os fiéis.

Após a prisão, o homem foi encaminhado ao 1º DP (Distrito Policial), e aguarda os procedimentos legais.

No dia 24 de janeiro de 2016, o policial Dalci Cipriano de Oliveira Júnior seguia para o trabalho com sua moto na cidade de Santo André quando foi abordado e baleado por criminosos.

Após o crime, o polícia baleado ainda foi socorrido, mas morreu no hospital. Depois de 13 anos atuando na Polícia Militar de São Bernardo, o policial morto deixou esposa e dois filho.

Ainda não se sabe qual era a função do suspeito preso de assassinato, se atuava como pastor e qual a ligação que na igreja, mas acredita-se que os membros possam ser chamados para depor e explicar o que um bandido fazia nos arredores da igreja e por que estava organizando eventos religiosos.

Apesar de mais de 3 anos que o fato ocorreu, a ação ainda corre em julgamento e os policiais da cidade ficaram o tempo todo há procura do culpado, que tirou a vida de um militar fora do seu horário de trabalho.

A polícia investiga se o caso foi somente um assalto ou acertos de contas por parte do bandido que tirou a vida do PM.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Recentes