Connect with us

Polícia

Pastores são presos após abusarem sexualmente de crianças em Minas Gerais

Published

on

Pastor que praticava abuso sexual é preso

Na terça-feira (29), dois pastores foram presos na cidade de Ibirité, em Minas gerais, após serem acusado de abuso sexual contra crianças na cidade.

Para abusar das crianças, os pastores usaram a liderança junto a igreja para coibir os jovens e assim praticar os atos imorais.

Os pastores presos têm 47 e 57 anos, e abusavam de crianças menores de 14 anos que apresentavam maior vulnerabilidade, e assim tinham mais chances de cometer os crimes.

Segundo a polícia, um dos suspeitos foi detido em casa, onde funciona uma igreja. Ele teria abusado de uma menina de 12 anos e da mãe dela.

As vítimas relataram que ele começava com uma oração e em seguida fazia elogios a criança, onde a partir do momento que passava a tocar suas partes íntimas, perguntava se ela estava gostando.

Segundo o delegado que investiga o caso de abuso sexual dos pastores, a mulher de um dos acusados sabia da ação do marido, e em alguns casos chegou a participar da ação, despistando parentes e atuando como intermediadora do encontro, afastando a presença dos pais.

Uma das vítimas era a própria enteada do pastor de apenas 13 anos, que era abusada por pelo menos um ano, e sofria ameaças do religioso que, caso ela contasse o caso para alguém, seria separada da mãe.

A Polícia Civil de Minas Gerais está investigando as denúncias contra outros suspeitos, e possivelmente mais pessoas devem ser presas nos próximos dias.

Esse caso de abuso sexual de pastores contra menores mostra mais uma vez como alguns homens usam a sua liderança na igreja e a palavra de Deus para atrair vítimas com o intuito de agradar o seu apetite sexual, sem pensar nas consequências que isso traz, usando a fé como desculpa e o nome de Deus para os atos imorais, ainda mais quando envolve vítimas tão inocentes.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Recentes