Conecte-se conosco




Polícia

Pastores são presos após abusarem sexualmente de crianças em Minas Gerais

Publicado

em

Pastor que praticava abuso sexual é preso

Na terça-feira (29), dois pastores foram presos na cidade de Ibirité, em Minas gerais, após serem acusado de abuso sexual contra crianças na cidade.

Para abusar das crianças, os pastores usaram a liderança junto a igreja para coibir os jovens e assim praticar os atos imorais.

Os pastores presos têm 47 e 57 anos, e abusavam de crianças menores de 14 anos que apresentavam maior vulnerabilidade, e assim tinham mais chances de cometer os crimes.

Segundo a polícia, um dos suspeitos foi detido em casa, onde funciona uma igreja. Ele teria abusado de uma menina de 12 anos e da mãe dela.

As vítimas relataram que ele começava com uma oração e em seguida fazia elogios a criança, onde a partir do momento que passava a tocar suas partes íntimas, perguntava se ela estava gostando.

Segundo o delegado que investiga o caso de abuso sexual dos pastores, a mulher de um dos acusados sabia da ação do marido, e em alguns casos chegou a participar da ação, despistando parentes e atuando como intermediadora do encontro, afastando a presença dos pais.

Uma das vítimas era a própria enteada do pastor de apenas 13 anos, que era abusada por pelo menos um ano, e sofria ameaças do religioso que, caso ela contasse o caso para alguém, seria separada da mãe.

A Polícia Civil de Minas Gerais está investigando as denúncias contra outros suspeitos, e possivelmente mais pessoas devem ser presas nos próximos dias.

Esse caso de abuso sexual de pastores contra menores mostra mais uma vez como alguns homens usam a sua liderança na igreja e a palavra de Deus para atrair vítimas com o intuito de agradar o seu apetite sexual, sem pensar nas consequências que isso traz, usando a fé como desculpa e o nome de Deus para os atos imorais, ainda mais quando envolve vítimas tão inocentes.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Polícia

Marco Feliciano gasta R$ 157 mil com tratamento dentário e acaba processado por advogado

Publicado

em

Tratamento dentário de Marco Feliciano

O pastor e deputado federal Marco Feliciano está sendo processado por um advogado após o evangélico gastar R$ 157 mil em um tratamento dentário.

De acordo com a ação aberta pelo advogado mineiro Douglas Henrique Valente, ele pede a anulação do reembolso de R$ 157 mil pagos pela Câmara dos Deputados a Marco Feliciano, por um tratamento odontológico.

Diante as repudia com o uso de dinheiro público, o advogado abriu a ação no final de outubro desde ano, alegando que o reembolso seria "imoral" e configuraria desvio de finalidade, já que o tratamento do deputado seria, na verdade, estético.

Sobre a revelação de que teria gastado um valor exorbitante com tratamento dentário, o pastor Marco Feliciano alegou que o motivo era uma correção de um problema de articulação na mandíbula, além de implantes e aplicação de coroas na boca.

Em consequências de dores crônicas, o parlamentar alegou que era impossível viver daquele jeito, e que como a boca era ferramenta do seu trabalho e pregação, precisou buscar ajuda odontológica.

Apesar das críticas, o pastor Marco Feliciano se manteve firme em sua posição e nos gastos para o tratamento. "Sou político e pregador. Minha boca é minha ferramenta".

O advogado, que se mantem firme na anulação do ressarcimento dos R$ 157 mil, também pede na justiça que o segundo vice-presidente e a Mesa Diretora da Câmara não autorizem novos reembolsos deste tipo para qualquer parlamentar.

Um tratamento dentário costuma ter valores bem acima de outros procedimentos médicos, mas o que chama á atenção são os gastos que Marco Feliciano vem gastando.

Ou seja, uma pessoa que deveria ser exemplo acaba tendo o seu nome envolvido em polêmica dentro e fora da carreira evangélica e política.

Ainda não se sabe o que os fiéis que seguem Marco Feliciano acham de tal gastos.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Polícia

Colado em Bolsonaro, pastor Marco Feliciano faz campanha de boicote a Rede Globo

Publicado

em

Marco Feliciano se volta contra Tv Globo

O pastor Marco Feliciano usou a sua conta do Instagram para fazer uma campanha de boicote a Rede Globo em virtude dos últimos acontecimentos envolvendo Bolsonaro.

+ Caio Fábio arma briga com Silas Malafaia e insinua que pastor trai a esposa

O boicote de Marco Feliciano começou depois que a Rede Globo divulgou uma possível ligação do Presidente Jair Bolsonaro com o assassinato da Vereadora Marielle Franco.

De acordo com a reportagem da TV Globo, um dos assassinos de Marielle teria ido até o condomínio onde Bolsonaro residia no Rio de Janeiro. O porteiro do prédio disse à justiça que a pessoa que recebeu o acusado seria o próprio Bolsonaro.

Mas, investigações mostraram que Bolsonaro estava em Brasília na data mencionada. Já na quarta-feira (30), o Ministério Público chegou à conclusão que o porteiro mentiu sobre o envolvimento de Bolsonaro no caso. Logo a TV Globo publicou uma matéria sobre o caso, esclarecendo a mentira.

Neste gancho, o pastor e deputado Marco Feliciano fez um post no Instagram pedindo o boicote contra a Rede Globo. De acordo com o evangélico, a emissora tenta denegrir a imagem do presidente Bolsonaro a todo momento.

"A Rede Globo tentou associar o Presidente Bolsonaro ao assassinato de Marielle Franco. Chega de cruzar os braços! Boicote a Globo Já".

Nos comentários, os seguidores e apoiadores de Feliciano disseram que vão seguir com o boicote. Disseram também que a empresa precisa ser responsabilizada pela forma errônea que divulgou as informações sem antes o MP concluir o caso.

Logo após a divulgação da matéria pela Rede Globo, o presidente Bolsonaro fez uma live nas redes sociais se defendendo das acusações.

No vídeo publicado durante viagem pela Arábia Saudita, Bolsonaro acusou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), de vazar para a Globo o processo que corre em segredo de justiça.

O presidente da República reagiu gritando e xingando a Globo de "canalha" e que a emissora faz "patifaria" em vez de jornalismo. "Vocês infernizam a minha vida, porra!", disse Bolsonaro bastante revoltado.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

Polícia

Expulsa do partido do presidente, Joyce Hasselmann ataca pastor Silas Malafaia

Publicado

em

Joyce Hasselmann x Silas Malafaia

A deputada federal mais votada do Brasil, Joyce Hasselmann, foi expulsa recentemente do seu partido. Ela, que era, uma das principais apoiadoras do presidente, perdeu um posto importante. No meio desse turbilhão de emoções, ainda sobrou tempo para a parlamentar atacar o pastor. Silas Malafaia que é um aliado de Bolsonaro, e a chamou de traíra nas redes sociais.

No Twitter, Joyce Hasselmann respondeu à provocação de Silas Malafaia. Ela que não faz mais parte do partido do PSL e não é mais aliada do presidente, atacou o pastor. A parlamentar teve a ousadia de lembrar o episódio onde o religioso, chamava Bolsonaro de inapto para a presidência.

O religioso, que após a eleição de Bolsonaro, passou a apoiar o político, entrou em uma polemica. No Domingo, dia 20 de Outubro, os dois trocaram ofensas publicamente nas redes sociais. Tudo por conta de que a parlamentar assinou a famosa lista que discordava sobre a presidência do PSL.

Hipócrita foi o xingamento que a ex-jornalista recebeu do religioso. Para não ficar atrás nas ofensas, ela perguntou como andava a investigação sobre lavagem de dinheiro. Uma das ultimas notícias sobre o caso, afirmam que a PGR (Procuradoria Geral da República) teria acionado o STF (Superior Tribunal Federal), em 2018.

O processo por lavagem de dinheiro tramitou por durante um ano. O religioso chegou a realizar um pedido para que este fosse arquivado. Sua requisição não foi atendida e toda a investigação foi parar no STF. O líder religioso, chegou a sofrer uma condução coercitiva em 2016, por conta da mesma acusação.

A briga dentro do PSL, partido do presidente Bolsonaro, chegou até Silas Malafaia. E não podia deixar de ser assim, pois o pastor que é um apoiador do político, se doeu diante de tantos problemas que o amigo vem enfrentando. Mas, Joyce Hasselmann, resolveu lembrar ao público que o religioso já criticou àquele, a quem ele hoje, tanto defende. 



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Continue Lendo

POPULARES