Crime

“Padrasto mata enteado e faz churrasco”, é o que apura polícia no caso Henry Borel

O caso Henry Borel teve uma reviravolta na manhã dessa quinta-feira (08), quando a mãe do garoto Monique Medeiros e o namorado vereador Jairinho foram presos pelo Polícia civil. Agora os agentes estão investigado se político que também é medico teria feito um churrasco logo após matar a criança.

Segundo informações, o vereador Jairinho teria  pago as despesas de um churrasco oferecido pela faxineira Leila Rosângela de Souza. Ela tinha limpado o apartamento do parlamentar e sua namorada, Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, no dia seguinte à morte do menino.

Mãe se embriagava em festa clandestina e filha de 7 anos morre tragicamente afogada em piscina

A faxineira fez limpeza geral aconteceu antes da chegada da perícia ao apartamento.

Segundo a polícia, o churrasco de Rosângela aconteceu no dia 27 de março, na praça Silvinha Teles, em Bangu – bairro onde Dr. Jairinho nasceu e onde exerce forte influência política.

Além disso, existe conflitos nos depoimentos dados pela profissional de limpeza e a mãe do garoto. Pois após a morte de Henry Borel, Rosângela prestou depoimento na 16ª Delegacia de Polícia, na Barra da Tijuca e deu uma versão diferente da apresentada por Monique Medeiros sobre a morte do filho.

De acordo com Rosângela, no dia em que ela foi trabalhar, um dia após a morte do menino, Monique havia contado a ela sobre a morte de Henry. A princípio, Rosângela fez a limpeza do imóvel sem saber o que havia acontecido e, durante o trabalho, recebeu um telefonema de Monique, perguntando se ela já estava limpando o apartamento.

Rosângela respondeu que sim, e disse que só faltava arrumar algumas coisas. Nesta hora, Monique disse a ela que tirasse o dia de folga. Um tempo depois, ao deixar o apartamento do casal, Rosângela encontrou Monique no hall de elevadores, sendo amparada por um casal. Neste momento a mulher disse que o filho tinha passado mal de madrugada e havia morrido.

Em contraponto, Monique mãe de Henry Borel, afirmou que ela não tinha contado para a empregada sobre o que aconteceu com o filho, nem mesmo no dia em que se encontraram no hall do prédio.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo