Gente

Igreja Assembleia de Deus promove “festa Covid” e adolescente morre após se infectar

A Igreja da Juventude na Primeira Assembleia de Deus em Fort Myers, desobedeceu os decretos governamentais para não aglomeração de pessoas e também manter o distanciamento social, e promoveu a ” festa do Covid”, nome bastante peculiar, pois é do vírus que gerou uma pandemia mundial. Durante o festejo que teve comidas e bebidas, uma adolescente de 17 anos foi contaminada com a doença e acabou falecendo.

A jovem, chamada Carsyn Davis, foi a uma igreja em Fort Myers, Flórida (EUA) com a mãe. O nome do evento, “Festa da Libertação”, era uma referência ao objetivo dos organizadores: contrair a doença de maneira proposital, de acordo com informações do portal Correio da Manhã, e em tese, ficar imune.d

Porém, Carsyn tinha sobrepeso e uma doença autoimune, e mesmo usando hidroxicloroquina, ela não resistiu. Além destas doenças, a jovem já havia se recuperado de um câncer quando tinha apenas dois anos de idade.

Os amigos e familiares prestaram homenagens a Carsyn, e sua mãe, Carole Brunton Davis, afirmou em um comunicado que durante o tratamento de Covid-19, a filha nunca “chorou, reclamou ou expressou medo” e destacou ainda que a adolescente era “uma cristã devota e seguidora de Jesus” e “ativamente envolvida na Igreja da Juventude na Primeira Assembleia de Deus em Fort Myers”.

De acordo com os dados divulgados, cerca de cem pessoas compareceram à ” festa do Covid”, sem respeitarem o distanciamento social ou usarem máscaras. Nas redes sociais, a festa foi anunciada como uma interação com jogos, brindes, comida e muita música.

Antes de morrer, a moça ficou internada por um mês lutando contra a doença mas não resistiu às complicações e faleceu. A investigadora Rebekah Jones, responsável pelo caso, afirmou que “a mãe expôs deliberadamente a filha ao vírus”. Um médico legista constatou que a jovem apenas foi levada para um hospital uma semana após ficar doente.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo