Pastor

Pastor participa de brincadeira de criança e comete abuso contra filha e sobrinha

Um pastor de uma igreja evangélica local, está sendo acusado de pela mãe da criança de abuso sexual contra a filha é a sobrinha.

A mãe da menina de 10 anos procurou no sábado(17), a Polícia Civil em Araraquara, que por meio da Delegacia de Defesa da Mulher já está investigando o caso.  Ela registeou um Boletim de Ocorrência, contra o marido pastor de ter cometido de abuso sexual contra a filha e a sobrinha, de 14 anos.

“Óleo ungido”, leva bispo de Brasília pegar 20 anos de cadeia

De acordo informado pela mulher tutora da garota de 14 anos, ela é filha adotiva do pastor, de 31 anos. O B.O da conta que algumas semanas atrás, o religioso levou a adolescente a andar de moto. Durante o passeio ele teria passado as mãos nos seus seios, barriga, pernas e partes íntimas. A atitude do padrasto deixou garota sem reação.

A menina ainda contou a mãe, que em outra oportunidade estava cozinhando e o pastor padrasto, a chamou para ver televisão, mas que ela se deitasse no chão ao seu lado.

Ele ainda questionou o motivo dela não ter dito nada sobre a situação a qual levou a mão nas suas partes íntimas. Logo em seguida passou a morder sua orelha e novamente passar a mão na sua vagina.

Antes da mãe da garota procurar a Polícia Civil, uma semana atrás, o pastor brincava de “lutinha” com a adolescente. Druante a brincadeira de criança tentou levá-la para o quarto diversas vezes.

A mãe da da adolescente de 10 anos, prima da enteada do pastor, ficou sabendo dos abusos e perguntou a filha se algo havia ocorrido, já que ela frequentava a casa da prima.

A menina afirmou que em outra brincadeira de criança, desta vez “guerra de travesseiro”, o pastor teria passado a mão em suas partes íntimas. Logo a menina parou de frequentar a casa. Porém não revelou para os pais o que havia acontecido.

O Conselho Tutelar foi acionado e a garota de 14 anos foi encaminhada para a casa de parentes. Ela e a criança foram encaminhadas ao IML para exame de corpo de delito.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo